Um final feliz! Assim termina a saga dos ex-alunos da extinta Faculdade para o Desenvolvimento do Sudeste do Tocantins (FADES), que por mais de cinco anos, lutaram em busca da realização do sonho de serem diplomados.

Na última sexta-feira, 93 ex-alunos da FADES, foram diplomados pela Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), durante cerimônia realizada no auditório do Colégio João D’Abreu, em Dianópolis.

A diplomação dos ex-alunos encerra um ciclo de luta e persistência por parte dos estudantes que, chegaram a concluir os cursos na extinta FADES, mas não receberam a outorga de grau em virtude do fechamento da instituição.

Diante do impasse e prejuízo causado ao ex-alunos, foi criada uma comissão entre os acadêmicos, com o objetivo de buscar autoridades, poder público, para que fosse encontrada uma solução. Prefeitura de Dianópolis, por meio do prefeito, Padre Gleibson Moreira, Unitins, Conselho Estadual de Educação, Defensoria Pública do Tocantins e Ministério Público Federal (MPF), uniram-se para atender o pedido dos ex-alunos “a diplomação”. “Uma luta que me comoveu e quando fui procurado, já me coloquei a disposição dos ex-alunos. Fomos atrás, buscamos mais autoridades que prontamente nos atendeu, apresentando os passos que deveríamos trilhar. Esse diploma representa mais que uma conclusão de curso, mas a realização de um sonho. Estou muito feliz em ter contribuído e participado de um momento como este”, destacou o prefeito, Padre Gleibson Moreira.

Com a união de forças, somada a persistência dos alunos, foi possível realizar o sonho dos remanescentes da extinta FADES. Em cerimônia marcada pela emoção, com presença de familiares, amigos e autoridades, os ex-alunos receberam seus diplomas, corando com felicidade, a luta pela realização do sonho de cada aluno.

Parceria

A resolução foi possível diante de um acordo entre a Prefeitura de Dianópolis, que era a responsável pela Fades e que estava sendo acionada judicialmente para resolver a questão, Ministério Público Federal e Conselho Estadual de Educação. A Unitins recebeu a documentação acadêmica de mais de cem alunos, avaliou cada caso para validar o histórico dos estudantes. Do total, 93 acadêmicos puderam colar grau e receber os diplomas. Os outros alunos, que têm pendências acadêmicas – como disciplinas a cursar, continuarão os estudos pela Unitins.

Representante dos alunos, o agora bacharel em administração, Marcelo de Melo Fernandes, destacou a importância das parcerias, para a realização do sonho. “Foi uma longa caminhada, que termina com um final feliz. Cada passo desta caminhada foi percorrido com a certeza de que conseguiríamos. Foram sete anos de luta e hoje, estamos comemorando com felicidade o fruto dessa caminhada. É importante ressaltar que, se não fossem as parcerias, nada disso seria possível. Por isso, agradeço tanto ao prefeito, Padre Gleibson Moreira, que abraçou nossa causa e lutou com a gente. Nosso obrigado também a Unitins, que entendeu nosso sofrimento e efetivou de forma humana a realização deste sonho”, disse.

“A Unitins entendeu que nunca é tarde para ajudar e criou uma situação, em parceria com o Conselho Estadual de Educação, Prefeitura e Ministério Público Federal, para que fosse possível diplomar esses alunos, especialmente porque eles não teriam outra alternativa se não fosse o apoio da universidade”, explica o reitor da Unitins, Augusto Rezende.